Brasil // Chapada Diamantina (BA)

24/01/2014

No começo do ano parti junto a um grupo de novos amigos para a Bahia. Foram algumas semanas de muitas dúvidas e algum planejamento, através de um grupo no Facebook, até que finalmente chegava o dia de fechar as malas e partir. Nossa primeira parada foi na colorida e sempre receptiva Salvador. Encontramos a capital soteropolitana com o clima um pouco confuso – olha o curitibano falando! – mas logo entendemos que a chuva sempre passa. Na Bahia, o tempo sempre abre! Aproveitamos os dois dias que tínhamos antes de partir ao destino principal (valeu Cecelo e Bóris!) e partimos para o destino principal: o Vale do Capão, onde iniciaríamos nossa aventura na Chapada Diamantina.

A partir daí, tenho certeza de que palavra nenhuma bastará para descrever a experiência. Sou fotógrafo e confio no poder das imagens, mas elas tampouco fazem justiça à beleza e exuberância natural dessa região. A cada clique eu olhava para o visor por 5 ou 10 segundos, e retornava a olhar “sem câmera” para as paisagens, pensando comigo: “é, as fotos não vão dar conta disso tudo…”. Isso sem falar no povo. Ainda não sei se a impressão tão boa que trouxe comigo é culpa da natureza ou das pessoas. Na dúvida, fico com as duas opções. As paisagens são de tirar o fôlego, as pessoas são de abrir sorrisos e aquecer o coração. Cada passo em cada trilha vale a pena quando você chega lá em cima (ou lá embaixo) e dá de cara com a força da natureza, e pelo caminho coleciona “bons dias” daquele pessoal simples e tão sábio, sempre pronto a compartilhar tudo o que sabe.

Aos que pretendem conhecer a região um dia, só digo “vão!”. O exercício físico é intenso (ao menos foi para mim, um sedentário em tentativa de recuperação), mas o exercício mental, o auto conhecimento que você adquire, a superação dos teus próprios limites… valem, mais uma vez, cada passo em cada trilha. No silêncio da montanha, quando você deixa de ouvir até seus próprios passos e caminhar se torna automático, vem a revelação de tudo aquilo que está em nossa volta e que faz parte de nós, também. Tudo se unifica e, enfim, a gente entende. E sorri.

Deixamos a região da Chapada Diamantina de volta à cidade de Salvador já com saudades, a certeza de uma profunda transformação, eterna gratidão pelo que vivenciamos e muita vontade de voltar. Agradeço muito ao grupo de novos amigos que compartilhou comigo essa viagem (Óopicoléous FIUFUÍ! ♫), e mais uma vez, ao povo baiano. Até a próxima!

Mais fotos dessa e de outras viagens vocês podem ver seguindo meu Instagram. Valeu! ;D

Gostou? Compartilhe!

Todos os direitos reservados © 2012 Venâncio Filho